Como tudo surgiu

Em meados de 1966, o pesquisador Dr.Donald Mackenzie - PHD, professor do departamento de Kinesiologia da UNiversidade de British Columbia - Canadá - e também remador, decidiu embarcar 24 mulheres entre 31 e 62 anos em uma embarcação do tipo Dragon Boat. 

Nenhuma delas tinha qualquer afinidade com um remo. e muito menos sabia navegar. Mas todas tinham histórico de câncer de mama. Os únicos insumos para a empreitada foram alguma explicação superficial de como movimentar um remo na água, além de palavras de incentivo.  

Os resultados foram excepcionais. As "remadoras" não só deixaram de desenvolver o linfedema, como também apresentaram diminuição entre as que já o tinham.

Além disso, a motivação e "vida" entre aquelas mulheres deixou claro aquele era o caminho para um tratamento, ainda que sob a incredulidade de alguns membros da comunidade científica.    

Foi então fundado o Grupo A Breast in a Boat, propagando assim os mesmos resultados no processo de recuperação, especialmente quanto aos linfedemas. 

 

Muitas estórias de saúde e diversão, no lugar de sofrimento e depressão.    

Hoje, mais de 20 anos depois, centenas de grupos se espalham pelo planeta, treinando e competindo com Dragon Boats, essas curiosas embarcações que se tornaram símbolo para o grupo,  sempre supervisionadas pelo então criado IBCPC - International Breast Cancer Paddlers Commission.   

A vez do Brasil

Em 2016, o IBCPC , então sediado em Vancouver, entrou em contato com Fabio Paiva, possivelmente atraídos por sua experiência, como heptacampeão brasileiro de canoagem , além de outros títulos.

 

Buscavam um propagador à altura da causa. Não só encontraram um embaixador, mas também o próprio introdutor da canoagem havaiana em nosso país.

  

Fabio aceitou o desafio. Organizou equipes, metodologia, e foi ao trabalho.     

Assim, desde 2016, são organizados eventos, e treinamentos usando o mesmo tipo de embarcação que originou a 1a experiância.      

Dragon Boat - Embarcação de 46 pés (14 metros), tripuladas por até 20 remadores, além do "drummer" (que dá o ritmo através de um tambor). Nas festividades, é ainda usada.       

Canoa Havaiana - Embarcação para 6 tripulantes, mais o "leme", que direciona o barco. Por suas características  de estabilidade e rendimento mais adequadas à região de Santos, passou a ser preferencialmente adotada nos treinos.